Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Escolar / Reflexões / Coração tranquilo

Coração tranquilo

“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre”.

 

Este é um salmo escrito por Davi, um homem que viveu na simplicidade de um pastor de ovelhas, mas que também viveu a complexidade da monarquia do antigo Israel. Digo complexidade, pois lidar com a política sempre é desgastante e dificilmente se vive sem inimigos. Neste salmo, Davi inicia falando que “o Senhor é o meu pastor”. Davi sabia muito bem qual era o trabalho de um pastor de ovelhas, pois este foi, durante muitos anos, o seu ofício e muito se dedicava neste trabalho. Então Davi entendeu que assim como ele fazia com o seu rebanho, Deus agia com ele. Um grande pastor cuidador e protetor das ovelhas, então, conclui: Nada me faltará.

Mas quase chegando ao final do Salmo, Davi descreve uma cena curiosa. Ele diz: “preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários”. Apesar de todas as bênçãos que ele próprio relata no salmo, como a providência de Deus no seu sustento, como Deus guiava seus caminhos em justiça e ainda sobre os livramentos de morte, Davi tem inimigos. E mais, o Senhor preparava uma mesa na presença dos seus inimigos. Deus não o livra dos inimigos, mas ao contrário, prepara uma mesa para que Davi possa se assentar juntamente com os seus inimigos. Na sequência, ele diz que a bondade e a misericórdia o seguirão. Não há espanto, não há mágoa ou revolta, apenas uma certeza de que a bondade e a misericórdia de Deus estão com ele. Deus dá a Davi a oportunidade de dar testemunho de Deus até mesmo para os adversários.

Hoje, os tempos não são diferentes. Também enfrentamos dificuldades, perigos e hostilidade de muitos adversários. Mas fico me perguntando: será que as minhas reações a estes momentos difíceis serve de testemunho às pessoas do Deus que eu creio? Então, brota do meu coração uma oração pedindo a Deus para ter a mesma paz e tranquilidade que só a presença Dele pode nos dar. Que a presença do Senhor em nós molde o nosso coração e a nossa natureza para que a natureza de Deus se manifeste em nós.

Pastor Hércules Araújo
Pastoral Escolar
Colégio Metodista