Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Escolar / #PraPensar

#PraPensar

#PraPensar

O Projeto #PraPensar é uma série de reflexões escritas por nós e feitas para você. Criado em 2016, contempla toda a Educação Básica Metodista, ao todo, 14 colégios.

 Durante um mês inteiro, um dos colégios que fazem parte do projeto é escolhido e desafiado a escrever e desenvolver um pensamento por semana. Seguindo o nosso Calendário de Oração, que apresenta um tema por mês, a mensagem da semana é escrita por pastores, professores e alunos com todo o acompanhamento e apoio de nossas Pastorais Escolares e Universitárias.

Postado nos sites dos colégios todas as terças-feiras, o #PraPensar tem o intuito de espalhar o amor de Deus e de incentivar a leitura da Palavra.

Ao longo do ano, constrói-se um devocionário anuário próprio dos Colégios Metodistas, enfatizando sempre o amor de Cristo por cada um de nós.

Conheça aqui nosso Calendário de Oração.

Este calendário, construído pela Pastoral Escolar e Universitária, conterá temas de oração para cada mês do ano, com um versículo bíblico motivador e motivos de oração.

Compartilhe, acompanhe e faça parte deste projeto.

 

Confira as reflexões:

Um caminho necessário no lazer

“No sétimo dia Deus acabou de fazer todas as coisas e descansou de todo o trabalho que havia feito”. Gênesis 2.2

Segundo a lei da física, estamos em constante movimento ou repouso. E isto observamos que também ocorre na história da humanidade. O homem primitivo buscou alimento e segurança, porém, com a evolução, as necessidades humanas também aumentaram e, em função destas novas e constantes necessidades, se tem a ação humana por meio do trabalho.

Considerando nossas limitações físicas, não é possível exercermos trabalho ininterrupto, surgindo, assim, a necessidade do repouso e descanso.

A Reforma Protestante procurou aproximar o homem da simplicidade do evangelho, onde ele tem livre acesso à Palavra de Deus e sua salvação é mediante a fé por meio da Graça e não pelas suas obras. Conforme esta palavra, o próprio Deus trabalhou por seis dias na criação e no sétimo descansou.

Nesta perspectiva, o repouso e lazer são importantes, pois podem ser um espaço para repensar a vida, sonhar, tomar um fôlego nestes dias conturbados de estresse e agitação. Pois tudo neste mundo tem o seu tempo (Eclesiastes 3).


Walquiria Pingo Duarte
Professora de Ensino Religioso
Colégio Metodista de Ribeirão Preto

Lazer não é opcional, é necessário

“Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.” João 10.10b


Com tanto tempo trabalhando, estudando, as pessoas deixam de ter momentos de lazer, de descanso. Isso afeta o emocional e o físico da pessoa.

Uma pesquisa feita em Brasília, pela Secretaria Geral da Presidência da República, mostra que, para jovens, o lazer é gratuito, em casa ou ao ar livre, como ir à praça e parques. Mas, para 61% dos jovens entrevistados, a falta de dinheiro é o que os impede de fazer o que gostariam.

Dedicar-se ao trabalho ou aos estudos é algo muito importante, porém, dedicação excessiva é perigoso para a saúde.  Ter um momento de descanso, de distração regularmente como estilo de vida, onde passamos um tempo com a família e com os amigos, proporciona bem-estar e melhora a qualidade de vida.

De quê adianta a dedicação excessiva em estudos e trabalhos, se não temos um tempo para colocarmos nosso corpo e alma em descanso? Um dia todos nós voltaremos ao pó e morrer sem ter vivido plenamente é algo muito contraditório, pois fomos criados para vivermos a vida na sua totalidade. Saber que passamos toda a vida concentrados em apenas trabalhar e ganhar o pão de cada dia, deixando de viver momentos de alegria com pessoas que amamos é algo muito triste. Pois mesmo que cresçamos financeiramente, tudo o que foi conquistado não valerá a pena, tendo em vista a falta de equilíbrio no aproveitamento do resultado dos nossos esforços.

Em João 10.10b, Jesus diz assim: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância”. Precisamos ter um momento de lazer para que nossa vida seja plena e não uma vida cheia de estresse e cansaço.


Milena de Oliveira
3º ano do Ensino Médio
Colégio Metodista de Ribeirão Preto

Lazer é viver

“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso.” Salmos 23. 1,2


Lazer é viver, descansar com prazer.

Descanso para o coração, brincando com emoção.

As horas estou contando, as férias estão chegando.

Depois de muito estudar, preciso descansar.

É tempo que está vindo, tudo está sorrindo.

 

As férias chegando, as aulas terminando.

Tudo é festa, encanto e descanso.

Vamos cantar e dançar, na praia nadar.

E pela manhã, feliz, ver o sol raiar.

Até a natureza gosta de brincar!

 

Deus nos ensina que descansar tem muito valor.

Ele nos cuida com grande amor.

Ele é nosso conforto e nosso descanso.

Ele mesmo não dorme, não descansa,

Pra nos dar a alegria de sermos eternas crianças!

 

Poema coletivo do 5º ano B
Colégio Metodista de Ribeirão Preto

Supervisionado pela professora Roberta Ferreira Aleixo e agente da pastoral Ester O. Lago

Férias, lazer e bem-estar

“Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundancia” João 10.10b

“Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios”. Salmos 90.12


As férias escolares chegaram!

Merecidas e sonhadas, programadas ou não, as férias nos faz refletir sobre a necessidade do lazer, não só em nossa caminhada diária, mas também em períodos mais longos, como um cuidado importante para o nosso corpo e nossa alma. Somos seres criados por Deus para desfrutarmos a vida plena, ou seja, vivermos satisfatoriamente em todas as áreas da nossa vida material, emocional, espiritual. Está incluída, assim, a alegria dinâmica relacionada ao bem-estar físico e psicológico, proporcionado, também, pelo lazer.

Sob o tema “Reforma: um caminho necessário” é tempo de repensarmos, a partir da necessidade do lazer, maneiras criativas para desfrutarmos o nosso tempo com qualidade. Seja andando no parque ou lendo um livro, empinando uma pipa, observando os pássaros ou viajando, enfim, renovando a nossa alegria e vigor físico, desfrutando da companhia de familiares e amigos.

Sim, Pai celeste, ensina-nos a contar os nossos dias, traga-nos sabedoria ao coração para vivermos com graça, em amor, cada dia da nossa preciosa vida.


Ester Martins de Oliveira Lago
Agente da Pastoral Escolar
Colégio Metodista de Ribeirão Preto

Valorize e guarde a amizade

Atualmente possuir amigos é algo de grande valor principalmente levando-se em conta a realidade em que o egoísmo se faz presente. Quando paramos e procuramos nossas amizades, tanto do passado como do presente, percebemos que por causa de vários fatores deixamos de nos encontrar e amizade vai se enfraquecendo.

A vida realmente separa as pessoas. Tanta facilidade com as tecnologias modernas e ao mesmo tempo afastamento e distanciamentos. Faço uma observação: as amizades do Facebook! Poucas são verdadeiras amizades, pois não existe nada que substitua o abraço, o olhar, o cheiro o toque. As experiências em comum, a cumplicidade, a lealdade fazem surgir e vingar uma verdadeira amizade.

Perguntamo-nos: porque nossa amizade com alguém ficou enfraquecida? Muitas vezes não sabemos e ficamos extremamente machucados quando porventura esta amizade foi intensa e verdadeira. Porém, é quase impossível que essa antiga amizade saia da nossa mente, não se pode apagar o passado. Afirmo que amizade verdadeira é dar, incentivar, apoiar, defender, crer, aceitar, perdoar. O contrário de só receber, magoar, descrer, criticar, ofender, humilhar, julgar e esquecer. Como cristãos, cremos que a base de uma amizade está no AMOR ensinado por Jesus Cristo.

Concluo este breve pensamento sobre amizade dizendo: quem um dia deixou de ser amigo, jamais foi amigo. Em qualquer circunstância da vida, a amizade verdadeira deve ser sempre a mesma. Se hoje você tem uma amizade, preserve-a, ela tem um grande valor! Vale muito!

Roberval Trindade
Pastoral Escolar
Colégio Metodista Americano

O melhor amigo

O amigo é alguém que nunca deixa de amar, e se faz presente na angústia, como irmão. Provérbios 17:17.

 

“Ninguém gosta de mim.” “Não tenho amigos.”  Estas são afirmações comuns entre os adolescentes. Elas revelam a grande necessidade do ser humano de conviver com alguém que compreenda os seus dilemas, de compartilhar com alguém os seus segredos, suas mágoas e suas alegrias. Mesmo alguns jovens e adultos já se sentiram assim algum dia.

Na verdade, a amizade é um assunto para qualquer idade. Se você estivesse com um problema de “tirar o sono”, com quem desabafaria?

Se você tem uma pessoa em mente como resposta a essa pergunta, parabéns, você tem pelo menos um amigo. Mas o que é um amigo? É alguém que ganha a sua confiança por causa da convivência, que sempre fala a verdade para você, que o ama e o respeita apesar dos seus defeitos, que sente sua falta. Conhece alguém assim?

Encontrar um amigo é o grande dilema da adolescência! Mas achar um amigo de verdade não é tão fácil. Mas há um amigo que nunca falha, que está sempre presente e nunca o deixa sozinho. Ele tem sempre uma palavra de sabedoria para aconselhar você e entende seus problemas e suas mágoas. Ele está sempre pronto a perdoá-lo, e nunca precisa lhe pedir perdão. Ele o ama apesar das suas falhas e não se importa de você chamá-lo de madrugada para uma conversa.

 Esse amigo é Jesus, o Salvador amado. Ele quer ser seu amigo. Ele pode orientá-lo até na escolha das suas amizades. Por isso, você não precisa se sentir sozinho, Ele está sempre pronto a ajudá-lo, e Nele você pode confiar incondicionalmente!

 

Pastora Maria da Graça Raubust Vilagran
Pastoral Escolar do Colégio Metodista Americano

03/01 - Reforma Protestante – 500 Um caminho necessário... na Fraternidade!

“Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios”. Romanos 12,10

Um dos eventos que marcou a história da Igreja, em 1517, foi a Reforma Protestante, quando um monge agostiniano alemão, Martinho Lutero, postou 95 teses na porta da igreja, na cidade universitária de Wittenberg. Esse ato foi considerado uma ruptura do monge com a instituição católica e promoveu um amplo e intenso debate sobre as práticas religiosas do seu tempo. Iniciamos 2017 irmanados na propositura de oração que nos agrega e une em torno das celebrações dos 500 anos da Reforma Protestante.

A fraternidade é uma construção que está sendo edificada e, por certo, resultará em bem-aventuradas consequências, segundo outras opiniões envolvendo líderes eclesiais luteranos, católicos, batistas, presbiterianos, metodistas e etc. Sejam nossas inclinações em orar por este alvo mundial em 2017 consideradas asseguradas e abençoadoras, em todas as denominações da nossa pátria.

Segundo o bispo Paulo Lockmann, “o Papa Francisco, reconhecendo a maneira discriminatória com que, muitas vezes, os Evangélicos - Protestantes foram tratados em diversas partes do mundo, tomou a iniciativa de pedir perdão, reunindo-se com vários segmentos do protestantismo, entre eles nós, metodistas.” Como resultado deste amplo relacionamento, no encontro tratou-se também do tema da santidade e ética nas relações humanas. “Inauguramos, ainda, um Centro de Hospedagem de Apoio a cristãos do mundo todo, uma casa metodista em convênio com nossa Igreja na Itália, onde também funcionará a agência do Concílio Mundial Metodista para a Europa”, confidenciou o bispo metodista.

O Concílio Mundial Metodista está sinalizando unidade dialogal, está com as portas abertas para conversações baseadas no documento "O chamado a Santidade". 2017 promete ser um ano de abençoadoras aproximações, por isso somos convocados a orar para que haja azeitamento e abundante graça nestes relacionamentos. Na verdade, a Reforma Protestante reformou o pensamento teológico, eclesiológico, bíblico, institucional, mas é preciso que tudo isso aconteça numa visão fraterna de comunhão e paz. Que nossa oração seja lançada como pão sobre as águas, e a unidade prevaleça entre o povo de Deus em toda a terra.

OREMOS POR PESSOAS QUE AJUDAM OS REFUGIADOS: Que elas se mantenham firmadas no amor ao próximo, sustentadas pelas misericórdias calorosas de Deus, sopradas pelo Espírito Santo. Nunca desanimem, saibam e confiem no Senhor que o trabalho que realizam não é em vão, em nome de Jesus!

Shalom!

Reverendo Luiz Rodrigues Barbosa Neto/Pastoral IEP/UNIMEP/Taquaral.

08/11 – A paz que Cristo dá

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não a dou como dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”. (João 14:27)

   Israel ficou sob o domínio do Império Romano durante muito tempo. E uma forma de agir do Império Romano para os povos dominados era o oferecimento da paz. A Pax Romana era um acordo entre os dominados e Roma. Desde que se submetessem aos critérios e vontades de Roma, na figura do seu Imperador, tudo ficaria bem. Quem não se submetesse, seria torturado, castigado e até morto. Todo o império era estruturado sobre o medo e a violência.

   Jesus, em um momento com os seus discípulos, procurando instruí-los sobre momentos futuros que viveriam, - sua própria crucificação - começa a falar sobre o consolador, ou seja, o Espírito Santo, que viria sobre eles depois da ressurreição de Cristo. A preocupação do mestre era que os seus discípulos ficassem em paz quanto ao cuidado de Deus para com eles e todos os que creem no evangelho. A palavra usada no grego foi: Eirene, que significa paz, harmonia.

   E Jesus a usa fazendo um contraste com a pax romana, imposta por ameaças e violências. Mas Jesus deixa para seus apóstolos a paz por meio de seus ensinamentos, que ele aprendeu do Pai e que o Espírito Santo continuará a oferecer a todos que creem no evangelho. Os ensinamentos de Cristo trazem harmonia para os que buscam harmonia de vida, consciência, harmonia de propósitos.

   A paz que o mundo dá, procede das visões e vontades do ser humano, ou seja, terá falhas e limitações. A Paz de Cristo vem na harmonização de nós, criaturas com o criador, quando construímos nossa caminhada de vida segundo os ensinamentos de Deus. Que Deus te abençoe a cada dia e a Paz de Cristo seja sempre sobre sua vida.


Pastor Hércules Araújo
Pastoral Escolar do Colégio Metodista de Bertioga

01/11 – A paz que tanto necessitamos

“Não se turbe o vosso coração” (João 14:1)

   Existe um clamor no coração do ser humano em busca de algo que é tão necessário e que muitas vezes tem sido ausente: a PAZ. Há um grande número de pessoas sobrecarregadas com suas tarefas e responsabilidades e vivem carregando sobre si um peso tão grande, que os impossibilita de caminhar e desfrutar uma vida abundante, onde possa estar em paz consigo mesmo, com o seu Criador e com o seu próximo.

  Em muitos lugares procura-se alívio para a alma. Muitos caminhos são oferecidos para proporcionar a paz tão desejada, mas, como cristãos, cremos que só há um caminho que nos leva à verdadeira paz que tanto precisamos: Jesus Cristo.

   Esta paz vem ser o primeiro sentimento que passamos a experimentar a partir do momento que encontramos e deixamos Jesus morar em nossos corações. Muitos testemunhos são dados por pessoas que viviam cheias de conflitos e perturbações e no mesmo instante em que se encontraram com Jesus, sentiram uma profunda e maravilhosa paz inundar seus corações. Uma paz tão boa que chega a ser impossível de descrevê-la, pois podia ser desfrutada ainda em meio aos conflitos e problemas que estavam para resolver.

   Por isso, em um mundo cheio de violência, de intolerância e ódio, continuamos caminhando ao lado de Deus e vivenciando e compartilhando desta maravilhosa paz que Ele derramou e continua a derramar em nossos corações.

 

Rev. Vilquer de Melo Morais
Pastoral Escolar do Colégio Metodista União

 

20/09 – Aprendendo juntos

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele”. Provérbios 22.6

Por muito tempo tenho procurado a melhor forma de orar e conversar com meus filhos sobre Deus. Orar ao amanhecer, antes das refeições, antes de dormir, ao ver algo belo, orar para pedir que Ele esteja à frente dos desafios de mais um dia da nossa vida e das pessoas que enfrentam algum obstáculo naquele momento, são algumas das alternativas. Tentei a Bíblia, cada um com a sua, todos lendo juntos ou uma “oração pipoca” - quando cada um fala uma palavra, um agradecimento ou até mesmo faz um pedido. Tudo acontecia, mas eu ainda sentia falta de algo que pudesse ser compartilhado e que renovasse nossas forças em Deus.

Para minha surpresa, encontramos a alternativa na leitura do No Cenáculo (livro de devocionais diárias). Tive a ideia de deixar um exemplar no carro e tenho pedido para que cada um leia enquanto vamos para a escola. Que benção tem sido! Lemos, oramos e conversamos sobre a importância de colocarmos nossas vidas na mão do Senhor.

Ilza Ceccon
Coordenadora Pedagógica
Educação Infantil e Ensino Fundamental I
Colégio Metodista Americano

02/08 – Paternidade Responsável

   No dia 14 de agosto será comemorado o Dia dos Pais. Além dos presentes, abraços e carinhos sem fim, este tipo de festividade apresenta-nos uma oportunidade para parar e refletir. Um texto bíblico que nos auxilia a pensar sobre a paternidade é Provérbios 6.20-23: “Meu filho guarda os preceitos de teu pai, não rejeites a instrução de tua mãe. Leva-os sempre atados ao coração e amarra-os ao pescoço. Quando caminhares, te guiarão; quando descansares, te guardarão; quando despertares, te falarão; pois o preceito é uma lâmpada, e a instrução é uma luz, e é um caminho de vida a exortação que disciplina”.

   O trecho da Bíblia mencionado acima, na maioria das vezes, é utilizado para orientar os filhos e as filhas. Todavia, ele também oferece direcionamentos importantes para o pai. O pai é aquele que compartilha os seus valorosos preceitos a ponto do/a filho/a levá-lo por onde quer que vá. Estes princípios, apreendidos no relacionamento com Deus, norteiam tudo o que envolve a vida. Para que eles encontrem morada no coração da prole é preciso que este pai também se oriente por esses preceitos e exercite-os cotidianamente. O ensino, deste modo, resulta do anúncio de algo importante somado à reflexão, experiência e prática diárias.

   No versículo 21 está escrito que o ensino deve ser atado ao coração. Assim, os sonhos, projetos, anseios, emoções, histórias e decisões serão irrigados pelo Ensinamento Bíblico. Além de atar ao coração, ele deve ser pendurado no pescoço. Isto indica que todo o benefício conferido pela Boa Instrução ao coração deve ser transformado em atitudes que honrem o nome do Senhor. A exteriorização do bem que Deus proporcionou ao interior da pessoa se apresenta como um testemunho de vida, que transforma vidas e permite ao/à homem/mulher aprender com tudo o que ocorre em seu viver. Enfim, uma paternidade responsável passa pela observação do ensino que ilumina o caminho de uma vida plena.

   Que o Deus Pai, Filho e Espírito Santo abençoe a todos os pais,

Rev. Edemir Antunes Filho

Pastoral Universitária e Escolar
Universidade Metodista de São Paulo

26/07 – Prática esportiva: a arte de viver

   “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível. 1 Coríntios 9.24-25

   Preocupado com o posicionamento de pessoas que se convertiam a Cristo e nutriam a concepção de que libertos por Ele poderiam fazer o que quisessem, inclusive práticas de libertinagem, o apóstolo Paulo as orientam (1 Coríntios 9.24-25) tendo como parâmetro reflexivo a prática esportiva.

   O versículo 25 destaca duas categorias de recompensas para a pessoa que vence uma modalidade esportiva: uma coroa – um prêmio corruptível e um prêmio incorruptível. 

   Em relação a este, participar de uma competição é muito mais do que ganhar um troféu, uma medalha, símbolo visível de uma vitória.

   O sentido incorruptível do prêmio é para além da materialidade de um objeto, consiste na diversidade de possibilidades de aprendizagens:

  • A coragem em participar – disposição em participar em detrimento do resultado, ganhar, perder ou ter a experiência;
  • A consciência do processo – que requer persistência, abnegação, trabalho em equipe, sinceridade, humildade...;
  • A integridade – no exercício da vocação, não basta ganhar, é essencial manter a dignidade, o caráter do grupo e de si mesmo/a em todo o processo.

   Em uma Olimpíada, os espaços de atuação são diversos: quadra de tênis, pista de corrida..., mas na existência humana, o espaço primordial para a prática do atletismo, a arte de viver, é a própria vida e, nela, a habilidade de se relacionar tendo como inspiração a ética cristã: o respeito, o diálogo, o amor... é essencial para uma convivência melhor, solidária e mais humana.

Renilda Martins Garcia

Coordenadora da Pastoral Escolar 

Colégio Metodista Bennett

 

19/07 – Abnegação e Conquista

Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.” 1 Coríntios 9.24-25

   Ao ler o texto de 1 Coríntios 9.24-25, especialmente ao afirmar que “todo aquele que luta de tudo se abstém" me veio à mente a história do meu irmão, cujo desejo era ser médico. Depois de algumas tentativas fracassadas, não conseguindo a vaga por ele tão almejada, percebeu que o seu esforço e foco nos estudos ainda não eram suficientes para atingir sua meta e realizar seu sonho.
    Após muito refletir, concluiu que para chegar ao seu objetivo teria que se planejar melhor e, assim, elaborou um plano de ação que o ajudaria a superar suas limitações e alcançar seu objetivo:

  • Persistir, perseverar – desistir nem pensar;
  • Focar-se nos estudos – empenhar-se nos estudos em detrimento de outras possibilidades;
  • Priorizar atividades – naquele momento percebeu que para conquistar o seu sonho era preciso abrir mão de participar de muitas atividades por uma causa maior.

   E assim, se abstendo de “tudo”, obteve o tão esperado momento de superação e vitória. Em 2005 ele passou no vestibular de medicina na Universidade Federal de Pernambuco e se especializou em Oftalmologia.

 

Taciana Cristine Soriano Silvino

Orientadora Educacional da Educação Básica

do Colégio Metodista Bennett

12.07 - Solidariedade e Persistência

Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.” 1 Coríntios 9.24-25

   Nos anos 80 vivenciei e acompanhei meus irmãos e amigos preparando-se para participarem de uma maratona solidária de 43 km, num percurso que se iniciava na ponte Rio Niterói à Zona Sul do Rio de Janeiro.
Embora não fossem atletas, o que mais me chamou atenção foi a forma como se dedicaram com a esperança de alcançarem o objetivo desejado, de correrem dentro do tempo e quilometragem exigidos até a grande chegada.
    Várias séries de exercícios e corridas foram realizadas como preparação para o dia tão esperado. No dia do evento, estava com os familiares e amigos torcendo e quando eles passaram por nós, vibramos, transmitindo confiança, força e alegria.
    Este exemplo afirma que por mais simples que sejam nossos objetivos, quando acreditamos neles, conseguimos alcançar vitórias e sucesso. Até hoje eles guardam com carinho as medalhas que receberam de uma corrida solidária que teve um resultado positivo de persistência, superação e conquista, além da oportunidade de participarem de um evento marcante.

 

Gilka Silvia de Rezende Figueiredo

Diretora do Colégio Metodista Bennett

05.07 - Corrida pelo prêmio

Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.” 1 Coríntios 9.24-25

   No ano de 2013 as turmas do colégio se dividiram em cores para disputar as Olimpíadas estudantis. Naquela tarde, a disputa era a partida final de vôlei dos times das turmas de 5º ano. Ao término do jogo os/as vencedores/as foram os/as alunos/as da bandeira verde. Um dos alunos do time da bandeira vermelha, que havia perdido, não se conformava com a derrota.
    No vestiário, o professor de Educação Física aproximou-se do aluno e começou a explicar-lhe que em uma competição um dos quesitos para ser vencedor é estar mais preparado. Durante a conversa, o aluno que estava chateado lembrou-se que o time verde, antes da competição final, se encontrara várias vezes para treinos livres e chegou a conclusão que eles realmente mereciam ganhar.
    O reconhecimento daquele aluno levou todo grupo não a vitória, mas a reflexão de que podemos ser melhores quando dedicamos tempo nos preparando.

Cristina Gouveia dos Santos

Coordenadora Pedagógica da

Ed. Infantil ao Ensino Fund. I do Colégio Metodista Bennett

28/06- Metanoia

28/06 - Metanoia

"E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:2

Você já se perguntou qual é a vontade de Deus? O que é o melhor dEle?

Às vezes parece que Ele não tem nos dado ouvidos já que não recebemos as respostas, mas na verdade essa "cera" em nossos ouvidos é que tem nos impedido de escutar a voz do Senhor, que atende pelo nosso próprio nome. Nossos conceitos e “achismos” nos levam a buscar primeiro a nossa opinião, mas a partir de hoje o Pai nos convida a abrir-nos para uma “cirurgia” de conceitos, doutrinas e opiniões.

A Palavra nos ensina a não aceitar os padrões estabelecidos pelo mundo, mas sofrer uma transformação renovadora em nosso entendimento, para então recebermos a resposta e, além disso, experimentar a vontade suprema do nosso Deus. Busque então todos os dias ser mais parecido com Cristo, não com o mundo; mudar suas opiniões e entender verdadeiramente o plano do Senhor para nós. Para vivermos debaixo do querer dEle, renunciando e negando todos os dias as nossas vontades, ganhando assim essa renovação de mente, isso é Metanoia!

Rafaela Góes
Aluna do Colégio Metodista em Bertioga

07/06 - Renove a mente

Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Romanos 12.2


Vivi minha vida com um padrão, que ao meu ver, sempre foi adequado e correto. Aos 33 anos me deparei com uma outra proposta. Me deparei com Romanos 12.2. Ganhei um convite para uma vida nova, onde os padrões navegam por um caminho contrário. Para atender a esse convite foi necessária uma conversão. Uma mudança de rota e de mente.

Renovar a mente parece estranho quando pensamos que somos bons, adequados, corretos, íntegros, afastados do mal, coerentes e bondosos para aquilo que a maioria das pessoas pensa ser certo. Fechei os olhos e aceitei o convite!

Renovar a mente significa modificar o modo de pensar, sentir, agir e falar. É preciso ler a Palavra de Deus, que como diz em João 17.17, é a verdade.  Quando aceitamos o convite e aceitamos essa verdade, começamos a perceber que existe um plano de Deus para nós, que vai além do que possamos imaginar. Há um plano para cada pessoa, mas para isso é necessário perceber que o que achávamos correto, pode ainda ficar melhor.

A cada dia nos despimos do velho homem renovando o nosso modo de pensar e, assim, como diz em Efésios 4.23, aprendemos a nos revestir do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade.

Hoje o convite é para você. Aceite essa transformação. Mergulhe nessa renovação!

Professora Karina Avelino
Colégio Metodista Bertioga

31/05 - Família: sonho de Deus – um projeto contra a solidão

Salmo 68:6
Deus faz que o solitário more em família

Não há beleza na solidão crônica. O livro de Gênesis retrata isso bem, quando descreve a fala de Deus que não era bom que o homem vivesse só, por isso Lhe fez uma companheira (Gn 2.28). Contudo, em nossos dias, mesmo com tantos grupos para comunicação, redes sociais e acesso à tecnologia, não é fácil uma pessoa se sentir pertencente a um grupo. Isto se dá por causa da pressão do anonimato. Em geral, as pessoas são algoritmos, números e isto é comum inclusive no ambiente escolar, por exemplo, na lista de chamada. O/A docente não chama o/a discente pelo nome, em geral, chama o/a aluno/a pelo seu respectivo número. O pragmatismo impulsiona a impessoalidade.

Será que esse tipo de preocupação precisa fazer parte da agenda da escola? Afinal de contas, o ambiente escolar precisa pensar apenas sobre métodos científicos, teóricos e critérios acadêmicos, não é mesmo? É certo que esses elementos são imprescindíveis para o bom andamento de uma unidade escolar, porém, é possível incentivar nas escolas o aspecto da pessoalidade, da fraternidade e dos vínculos afetivos. Se por um lado a contemporaneidade coisifica as relações, bem como as pessoas, segundo os critérios bíblicos é possível estabelecer conexões entre as pessoas que superem a utilidade e praticidade.

O ambiente escolar pode ser resposta de orações de pessoas solitárias, ao passo que a escola assume sua missão de proporcionar um cuidado holístico com a pessoa, isto é, preocupado com o todo. Deus é um Deus comunitário, em que dá nome e pessoalidade para todas as pessoas, sem fazer qualquer tipo de acepção.

Que neste dia possamos abrir nossos olhos e nos atentar a pessoas solitárias que estão em nosso redor, que fazem parte do nosso ambiente escolar e que precisam se sentir em família. É sonho de Deus que vivamos como família mesmo em meio a diversidade e pluralidade, mas “encharcados” do amor de Cristo que excede todo o entendimento humano.

Pascoal Mantovani
Pastor metodista e professor

24/05 - A experiência de John Wesley

Leia 2 Pedro 1.3-7


Relato do “Diário de Wesley”, 24 de maio de 1738

À tarde fui, com pouca vontade, a uma reunião na Aldersgate Street (Londres); quando cheguei alguém estava lendo o prefácio de Lutero à Epístola de Paulo aos Romanos. Cerca das vinte horas e quarenta e cinco minutos, enquanto ele descrevia a mudança que Deus opera no coração mediante a fé em Cristo, senti o meu coração estranhamente aquecido. Eu senti que agora confiava realmente em Cristo, somente em Cristo, para salvação: e me foi dada a segurança de que Cristo havia perdoado os meus pecados, sim, os meus, e que eu estava salvo da lei do pecado e da morte.”


Ao ler e conhecer a história do reverendo John Wesley, descobrimos muitos detalhes e particularidades como esta que acabamos de descrever. No entanto, sua trajetória de vida, educação e experiências acontecem em cada momento específico de sua vida e contribuem para que ele se torne como um exemplo e referencial de liderança, caráter e testemunho que inspira muitos a seguirem a fé bíblica, evangélica e cristã por ele anunciada.

Cada etapa de sua vida foi um degrau para chegar à seguinte. O texto bíblico de 2 Pedro 1.2-9, exemplifica estas etapas das quais gostaria de compartilhar:

FÉ > VIRTUDE / VIRTUDE > CONHECIMENTO/ CONHECIMENTO > DOMÍNIO PRÓPRIO/ DOMÍNIO PRÓPRIO > PERSEVERANÇA/ PERSEVERANÇA > PIEDADE/ PIEDADE > FRATERNIDADE/ FRATERNIDADE > AMOR

Desta forma, por meio da fé, o rev. John Wesley alcançou o conhecimento, que pela sua experiência pessoal com Deus (piedade) deu um novo sentido para seu ministério, que foi aplicado de forma concreta em atos de fraternidade (obras de misericórdia) e amor, marcando seu tempo e influenciando sua geração no período em que viveu.

Pr. Wesley Cardoso Teixeira
Pastoral Escolar do Colégio Metodista em São Bernardo do Campo

17/05 - Sonhando os sonhos de Deus

“Como são preciosos para mim os Teus pensamentos, ó Deus! Como é grande a soma deles!" Salmo 139.17

"Como são belos os teus sonhos, ó Deus! Como é grandioso o teu projeto!" Releitura

Antes de você nascer, Deus já sonhava com a sua vida. O Salmo 139.13-14 diz: “Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável.”

Desde a sua infância, o Senhor cuidava de cada detalhe enquanto crescia. Semeava os sonhos dEle para você, plantava as sementes na sua alma e à medida que foi se desenvolvendo, Seu desejo era que esses sonhos crescessem com você.

O projeto de Deus para a nossa vida é que vivamos unidos, em família. Quando Ele criou as pessoas, criou-as “à Sua imagem e semelhança” (Gênesis 1-27) e “viu que era muito bom” (Gênesis 1-31). Imaginem a felicidade! Era o Seu sonho realizado. Sonho de povoar a terra, colocar pessoas e uní-las em laços fraternos, para espalhar o amor entre elas e torná-las interdependentes.

Deus nos convida a viver esse sonho por meio de nossas famílias. A relevância da família é tamanha, que Deus a usou como estratégia para concretizar o Seu sonho. Ela é a implementação desse projeto e exerce o papel essencial de educar. Educar para a convivência consigo mesmo, com o outro, com o mundo. Felizmente, a família não está sozinha, dentre outras instituições, a escola é sua parceira.

Sabemos que educar é uma tarefa extremamente complexa e que não há receitas prontas, mas podemos estabelecer conexões entre escola e família que auxiliem nesse caminho. É preciso que o envolvimento entre ambas seja construtivo e permanente, e que haja coerência entre as orientações e as ações.

Que você se permita sonhar, acreditar e realizar esse sonho conosco.

Eliete Garcia de Souza
Coordenadora Administrativa
Colégio Metodista em São Bernardo do Campo

13/05 - Família: espaço fundamental de partilha e desenvolvimento

Colossenses 3: 16 e 17

Vivemos na era da informação e, nela, estar conectado é a palavra de ordem. No mundo, nunca se esteve tão conectado e de igual forma nunca se sofreu tanto em razão da solidão. 

Como podemos permanecer conectados e não nos sentirmos sozinhos? A palavra de Deus nos assegura que “não é bom que o homem esteja só” Gn 2:18 a. Quando pensamos na célula mater da sociedade, “a família”, encontramos o lugar onde a palavra de Deus pode se cumprir diariamente, onde podemos nos conectar uns com os outros e com Deus. Apesar de todas as mudanças vividas, não temos dúvida de que a família continua sendo o sonho de Deus para cada um de nós, um sonho de participação ilimitada, de amor, de compromisso e de entrega.

Da mesma forma que Deus não se limita a sonhar conosco de forma distante, Ele é “Deus conosco”, nos encoraja a sonhar em família, a participar de forma mais efetiva no cotidiano de cada um dos membros dessa célula viva e incrível. 

Como cristãos, admiramos a beleza de cada momento familiar, vendo nele o lugar onde, gradualmente, aprendemos o significado e o valor das relações humanas; a amar com a decisão de cuidar; a caminhar como uma promessa de diariamente se doar; a investir, principalmente tempo; a gastar-nos por alguém, sem esperar retorno imediato, na certeza de que vale a pena.

Como parte do Colégio Metodista, convidamos cada um de vocês a gastar-se por amor, sabendo que não é, em si, tarefa fácil e que gera momentos de dor, de cansaço, de conflito, situações em que parece que tudo se torna árido, mas precisamos parar e investir nosso tempo naquilo que é o melhor de Deus: nossa família. Que ao nos conectarmos em família possamos gerar espaços de ouvidoria, troca, crescimento, segurança, confiança e proximidade, certos de que o “Deus conosco” nos dará estratégias para perceber que precisamos uns dos outros, que nos fortalecemos em família e de que juntos somos capazes, como diz a canção, “de ir muito mais além do que se imagina”. 

Fraternalmente, professora Debora Castanha