Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Escolar / Reflexões da Pastoral / Amada Pátria Brasil

Amada Pátria Brasil

“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece... Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor”. I Coríntios 13:4-13 

Ao comemorarmos, no dia 07 de setembro, os 195 anos de independência política e econômica do Brasil, podemos refletir sobre o 07_09_IndependênciadoBrasilpaís que começamos a construir a partir do clamor histórico: “Independência ou morte”, um grito que nos conclama a assumirmos a nossa responsabilidade hoje como a geração que “não foge à luta”, lembrando o nosso próprio hino nacional. 

A partir de uma análise histórica e social da nossa realidade, constatamos a urgente necessidade de trazer à memória nacional o pilar fundamental para a construção de uma nação livre que se reforma, de geração em geração, dentro do viés do amor que deve perpassar todas as relações que se desenvolvem neste chão.

A verdade é que o amor é construtivo. À luz do versículo acima citado, as qualidades descritas podem ser listadas como essenciais para o bom desenvolvimento social de um povo que preza pela justiça em todos os âmbitos. “Não procura seus interesses... não se alegra com a injustiça”, rompem aos nossos olhos como clamores dos mais apropriados para o enfrentamento da realidade brasileira pessimista, carente de esperança.  

Com amor nutrimos as boas raízes para uma construção sólida e de qualidade, onde o sonho e a realidade se entrelaçam. O respeito, a paciência, a bondade são frutos do amor que constrói o caminho da justiça para cada geração desfrutar e colaborar com esta construção.

Famílias que amam, desencadeiam uma sociedade amorosa, cuja força de luta é a paz, reconhecidamente o antídoto para os males que nos afligem, desde doenças psicossomáticas até as superlotações de penitenciárias e que reverte toda injustiça.

Assim, nesta data tão especial para todos nós brasileiros, atentemos para as eternas palavras do nosso amado Mestre, Jesus,  que ensina: “amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Marcos 12.30-31. Que Deus abençoe a nossa amada pátria brasileira!


Ester Martins de Oliveira Lago
Pastoral Escolar – Colégio Metodista de Ribeirão Preto