Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Alunos falam sobre primeiras experiências com o Sistema de Ensino pH

Alunos falam sobre primeiras experiências com o Sistema de Ensino pH

Alunos falam sobre primeiras experiências com o Sistema de Ensino pH
Pedro Rossi (à esquerda) e Victor Trevizan (à direita) confiam no novo Sistema para os vestibulares - clique para ampliar

O pessoal do Ensino Médio do Colégio Metodista começou o ano letivo 2019 na “pegada”. Com pouco mais de três semanas de aulas, os alunos e alunas já se envolveram, com muita dedicação, nas atividades da novidade do ano: o Sistema de Ensino pH . O projeto foi apresentado no final do ano passado, gerando a curiosidade. Mas agora, já na prática e em contato com o Sistema, os estudantes têm participado cada vez mais empolgados das propostas de atividades, e é apenas o começo.

Além do material didático estruturado com conteúdo aprofundado e contextualizado, que vai do lúdico aos conteúdos mais analíticos, os estudantes têm à disposição plataformas educacionais digitais com aulas práticas, soluções tecnológicas, avaliações, relatórios de estudo orientado e monitoria online com professores em tempo real.

Quem conta um pouco  sobre estes primeiros contatos com o Sistema pH são os alunos Pedro Rossi Viana e Victor Gabriel Trevizan Silva.

Expectativa...

Pedro Rossi está no 2º ano e desde já  planeja fazer o Enem para ir treinando e também já pensa em como se engajar para chegar ao 3º ano no ritmo dos vestibulares. Para isso, ele disse que conta com um bom apoio. “No ano passado eu vinha para as aulas e em casa fazia os exercícios e estudava mais por conta própria mesmo. Este ano, a gente conta com o pH e o apoio com professor online, que ajuda a tirar as dúvidas, entre outras orientações, como se tivéssemos o apoio escolar em casa”.

Ele também contou que percebe uma nova forma de se preparar: “o Sistema (pH) traz exercícios e questões divididos em diferentes tipos, que vão mudando e aumentando o nível de intepretação, que faz a gente refletir melhor para chegar às soluções. Ele dá um ‘norte’ nas questões e com o apoio online, a gente se sente mais amparado e tem dado mais vontade de estudar em casa”.

“Outra coisa interessante é o pHzinho, ele dá questões para revisar o que já fiz, elas são de dificuldades diferentes e são focadas nas questões dos grandes vestibulares e do Enem. Então, além de treinar, também é uma forma de aprender, ainda mais porque podemos, além do apoio online, compartilhar nossas dúvidas com diversas pessoas de outros lugares e solucionar os problemas e compartilhar o aprendizado”, contou Pedro que, pensando mais à frente, pretende prestar Fuvest em um curso na área de Humanas, o qual ainda está analisando as carreiras.

Quase na reta final...

Victor Trevizan já está no 3º ano e de olho em tudo o que está por vir. No ano passado, também fez o Enem como treineiro e diz que está mais tranquilo e confiante para fazer este ano e visa utilizar a nota nos processo seletivos das universidades. Nos estudos, ele teve uma experiência semelhante ao do colega Pedro. “No ano passado eu estudava mais por conta, trazia o aprendido em sala de aula e ficava no meu ‘mundo’. Com essas diversas possibilidades do pH, estou me sentindo acompanhado e mais seguro para me preparar para os vestibulares”.

E ele revelou de onde vem essa segurança. “É muito importante aprender a teoria e ter a prática e é isso que temos com o pH. Temos as aulas para absorver o conteúdo e depois temos os exercícios, que são contextualizados com a realidade. Eles trazem situações que vemos e vivemos no dia a dia e propõem a forma de solucionar, que temos que refletir como é essa solução e isso é bem próximo do que temos visto em questões do Enem e vestibulares”.

“Como no 3º ano estamos nos preparando para o vestibular, temos que revisar muitos conteúdos e às vezes isso deixa a gente um pouco perdido, sem saber por onde começar, o que ver primeiro e o Sistema dá esta orientação, ajuda a organizar a rotina escolar porque dá um foco para nós. Estou contando muito com o pH para enfrentar o Enem e os vestibulares”, disse Victor, que já tem carreira em mente: “quero prestar Medicina na Unifesp, UFMABC e algumas universidades no interior”, contou.


As experiências contadas por Pedro e Victor são as primeiras etapas deste ano. Ao longo dos próximos trimestres, ainda terá outras novidades como oficinas, simulados e outras atividades interessantes e divertidas para todo o Ensino Médio e nós contaremos tudo aqui.