Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Escolar / Reflexões da Pastoral / O combate à discriminação racial

O combate à discriminação racial

Nesta semana foi celebrado o Dia Internacional contra a Discriminação Racial, no dia 21 de março. A data foi instituída pela ONU como um dia de luta para que a discriminação racial possa ser banida de todos os lugares. Portanto, este é um dia para pensarmos o quanto somos iguais e não que somos diferentes.

É preciso nos unir para que todos sejamos um, como Deus é um com Cristo.

Não podemos dividir as pessoas pela cor da pele, pela religião, por aquilo que têm ou não têm. Deus espera de nós que todos e todas lutemos para que sejamos um só povo.

Diz uma canção:

A Começar Em Mim

David Fantazzini


A começar em mim
quebra corações
pra que sejamos todos um
como tu és em nós

Onde há frieza que haja amor
onde há ódio, o perdão
para que seu corpo cresça assim,
como a perfeição...

 

O autor desta letra em poucas palavras disse toda a verdade do evangelho. Toda luta começa em cada um. Muitas vezes não conseguimos mudar uma nação inteira, mas podemos começar dentro de nossos corações – a começar em mim...

São pequenas atitudes, muitas vezes, que podem mudar o mundo.

Neste dia de Luta para eliminação da Discriminação Racial é preciso conhecer as leis, por exemplo:

  1. Nossa Constituição de 1988 diz que todos somos iguais perante a lei;
  2. A Declaração das Nações Unidas sobre a Eliminação de todas as formas de Discriminação Racial diz: "discriminação racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública".

 

E é claro que não podemos nos esquecer que todos, homens e mulheres, foram criados por Deus “a sua imagem e semelhança”(Genesis 1.27).

Então, se todos somos iguais e fomos criados desta forma precisamos lutar, “a começar em mim”, para que assim seja.

Não devemos buscar sermos pequenas aldeias separadas pela cor de pele, pelo poder aquisitivo, por qualquer forma de divisão, pelo contrário, devemos lutar “para que sejamos todos um, como Tu (Deus) és em nós”. Esta é a concepção de Deus sobre o seu Reino, todos e todas juntos num só objetivo: sermos FELIZES.


Reverenda Gladys Barbosa Gama
Coordenação Nacional das Pastorais Escolares e Universitárias
das Instituições Metodistas de Educação