Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Fique em Paz

Fique em Paz

Reflexões - Pastoral Escolar e Universitária
Fique em Paz

Deixo com vocês a paz, a minha paz lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Que o coração de vocês não fique angustiado nem com medo. (Jo 14.27)

Jesus não nos informa o significado da palavra paz nessa sua frase. Também em diversas outras ocasiões em que fala sobre o tema, o Mestre não se preocupa em definir o termo. A razão é que paz era um vocábulo conhecido e, seguidamente, usado em saudações pessoais. Para o povo judeu, e dentro da cultura israelita, shalom – a palavra judaica para a paz – possui um conteúdo abrangente que pode ser resumido assim: é a felicidade, o mútuo entendimento e o bem-estar espiritual, físico, social, econômico e político das pessoas, das famílias ou grupos com quem elas se relacionam, das cidades em que moram, dos povos aos quais pertencem. Paz é, portanto, felicidade, saúde, bom entendimento e bem-estar em todos os sentidos. Na  Bíblia, portanto, paz é uma dádiva de Deus, também é uma bênção: O Senhor te abençoe e te guarde [...] e te dê a paz (Números 6.24-26).

Em tempos de confinamento, quando se ouve que estamos em guerra contra um vírus que mal conhecemos, em que o pânico toma conta da maioria das pessoas, quando as informações e desinformações se cruzam o tempo todo, ao ponto de não sabermos direito o que é correto e o que deve ser seguido – diante de tudo isso, as preocupações e o medo assaltam o nosso coração e tiram a nossa paz. Por isso precisamos ouvir as palavras de Jesus: “Deixo com vocês a paz, a minha paz lhes dou...” Cabe, portanto, refletir sobre essa paz que Jesus nos oferece.

Primeiramente precisamos compreender que a paz que nos é oferecida tem uma fonte que estabelece uma diferença fundamental daquela que o mundo pode apresentar: ela se origina em Jesus, é “...a minha paz lhes dou”. Se o shalom implica um bem estar completo para a vida, uma felicidade que almejamos nestes momentos de dúvida, o certo é que precisamos colocar a nossa fé em Jesus e abrir o nosso coração para que a sua paz retire de nós a incerteza e a inquietação. Sabemos que as ações humanas são imperfeitas e muitas vezes equivocadas, além de haver, em muitos casos, interesses não confessados em muitas decisões políticas e econômicas no mundo, portanto a paz que o mundo oferece não atinge os labirintos mais profundos da nossa alma, onde somente a paz que Jesus oferece é capaz de afugentar a escuridão do desânimo, da ansiedade e da confusão gerados pelas circunstâncias do momento.

Em segundo lugar, somos convidados por Jesus a exercer a nossa fé no que ele nos diz. Ele, de certa forma, nos ordena que não deixemos que o nosso coração fique angustiado e nem com medo. Medo e angústia são sentimentos que avassalam a vida de muitas pessoas, gerando pânico, desfazendo sonhos, criando desânimo e minando a coragem de lutar por objetivos e impedindo relacionamentos saudáveis. A paz de Jesus vem a nós para nos reatar com a vida, e vida abundante, porque nos coloca na presença de um Deus que cuida de nós, que desfaz o medo e a angústia, Deus do qual emana bênçãos inigualáveis, bênçãos estas que permitem que nós retomemos nossa confiança e reatemos os laços de afeto com os nossos entes queridos e, ainda mais, que possamos caminhar pela vida sob seu cuidado amoroso.

Por fim, o shalom de Jesus é alcançado pela fé nele. A sua paz nos é oferecida, por ela alcançamos um bem estar que, com certeza, não se alcança em nenhum outro lugar, mas é preciso que coloquemos nele, Jesus, a nossa confiança, para que ele nos encha com sua paz. Assim, o medo e a angústia serão definitivamente banidos de nosso coração. Em seu lugar, além da paz, virão sabedoria, amor, alegria e coragem para enfrentar as dificuldades que poderão advir no futuro. Seja o que for, nada pode tirar a paz que Jesus nos dá.

Sejam muito abençoados e abençoadas por Deus.

Rev. Vicente de Paulo Ferreira