Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Escolar / #PraPensar / Sobre o Dia das Mães

Sobre o Dia das Mães


"Honra a teu pai e a tua mãe". Efésios 6.2a

Dentre as muitas contribuições do povo chamado metodista, na Inglaterra e no mundo, está a comemoração do Dia das Mães.

Anna Jarvis, uma cristã metodista americana, é reconhecida como idealizadora do Dia das Mães nos Estados Unidos 

Em 12 de maio de 1907, dois anos após a morte de sua mãe, ela criou um memorial e iniciou uma campanha para que o Dia das Mães fosse um feriado reconhecido no seu País. Nesta data, foi “celebrada a saudade” em forma de lembrança, de respeito e de reconhecimento à mulher que lhe deu a vida. A dor por sua ausência estava lhe causando sofrimento em forma de depressão. Suas amigas organizaram um momento de celebração para amenizar a saudosa lembrança e, em uma festa, registraram em um memorial os atos que marcaram a vida, o trabalho e a espiritualidade de sua mãe. Nesta solenidade,  cravos brancos, que simbolizam as virtudes da maternidade, foram distribuídos para os filhos e filhas das mães ausentes e cravos vermelhos às mães presentes. Os cravos são considerados símbolos de pureza, força e resistência da mulher mãe.

Desde os tempos antigos as mães são homenageadas.

Na Idade Média, os trabalhadores que moravam longe de suas famílias ganhavam um dia para visitar suas mães o que passou a ser chamado pelos ingleses de “Mothering Day”, dia materno, em uma tradução livre.

No Brasil, a data foi instituída pela associação cristã de moços, em maio de 1918, completando 100 anos de comemoração em maio de 2018 no nosso País. A data foi oficializada pelo presidente da República Getúlio Vargas, em 1932.

Como curiosidade, esse dia é comemorado no Brasil, Irlanda, Japão, Turquia e Itália no segundo domingo do mês de maio.

Em Portugal e na África do Sul é comemorado no primeiro domingo de maio, já na Suécia, no quarto domingo. No México, a celebração é em uma data fixa, 10 de maio, nos Estados Unidos, no dia 12 de maio e na Tailândia, no dia 12 de agosto. Em Israel não existe um dia próprio para as mães e sim um dia para a família.

Essa data sempre é comemorada com uma grande confraternização familiar e até mesmo no Brasil tem sido uma referência para a reunião e celebração da vida em família.

Mais que uma data festiva, lembramos do sentimento de gratidão, respeito e honra à mulher mãe biológica e mulher mãe do coração.

Respeito e honra, traduzidos por carinho, presença, cuidado, atenção, diálogo e paciência. Gratidão com esse ser humano que doou seu sangue e suor para seu crescimento físico, emocional e espiritual.

Honrar pai e mãe, esse é o mandamento aos filhos e filhas.

“Aos pais, mulheres e homens  a ordem é que cuidem das  crianças para que o mundo seja mudado por elas”.

Pastora Sônia Rosa Faria
Pastoral Escolar e Universitária
Instituto Metodista Izabela Hendrix – Belo Horizonte – MG

Referências: Brasil Escola (brasilescola.com.br); UOL Educação (educação.uol.com.br); Enciclopédia Britânica (1959), vol. 15; Mother’s Day History (mothersdaycentral.com)