Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Escolar / #PraPensar / Dia do Abraço

Dia do Abraço


"E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou”. (Lucas 15.20).

“Os abraços foram feitos para expressar o que as palavras deixam a desejar”. Anne Frank.

O Dia do Abraço é comemorado mundialmente no dia 22 de maio. Tudo começou com a iniciativa de um jovem chamado Juan Mann, que criou a campanha Free Hugs ou Abraço Grátis, em 2004, com o simples propósito de distribuir abraços “gratuitos” pelas ruas da cidade de Sydney, na Austrália.

Com certeza, o abraço é o encontro entre dois corações e só traz benefícios no que se refere aos relacionamentos humanos. 

Vivemos dias em que as pessoas estão se distanciando cada vez mais umas das outras. Mandamos abraços pelo celular, pelo computador ou somente com palavras, mas, na verdade, nada substitui o gesto afetivo do abraço. Nossos braços estão engessados, não conseguimos aproximar do outro e da outra porque estamos bloqueados por dentro.

O abraço é curador, demonstra nossa disponibilidade afetiva através do acolhimento, do conforto, além de passar a boa energia de corações desarmados e cheios de gratidão.

Quando passamos por momentos difíceis é que somos levados a compreender que o melhor lugar para se refugiar é dentro de um sincero e carinhoso abraço. 

E este espaço aparentemente pequeno pode se tornar gigantesco quando pensamos que ali cabem todas as formas de ternura. Dentro de um abraço há espaço para o silêncio confortador, cabe o suspiro de uma alma aflita que encontrou um lugar de recôndito, cabe a aceitação do outro e da outra sem julgamentos pré-concebidos, cabe o perdão.

Na parábola do Filho Pródigo podemos perceber o encontro de um pai com um filho, que se concretiza através do abraço. Abraço que elimina a saudade, que dissipa toda dor, que extermina o ressentimento. Abraço que dignifica, fortalece, cria possibilidades de uma nova chance.

Você não precisa procurar motivos para “destrancar” os seus braços, mas a comemoração do Dia do Abraço pode ser uma oportunidade, o impulso que você esperava para ir ao encontro de outras pessoas tanto para acolher como para que você se sinta acolhido/acolhida.

Como é bom saber que Deus está sempre com os seus braços abertos para nos abraçar, demonstrando o seu amor incondicional por nós e assim espera que também façamos com todos e todas que encontrarmos pelo caminho da vida.

Sinta-se abraçado/abraçada por Deus e que na oportunidade do abraço ao seu semelhante, à sua semelhante você possa transmitir e compartilhar deste amor imensurável do Senhor.

Quantas pessoas você já abraçou hoje?

 

Reverendo João Marcos Garcia de Matos
Coadjutor da Pastoral Escolar e Universitária
Instituto Metodista Granbery – Juiz de Fora – MG